10 DICAS PARA MELHORAR A LOGÍSTICA DO SEU ARMAZÉM

7  minutos de leitura25 julho 2021

Melhorar a logística de um armazém é hoje em dia um fator essencial para todas as empresas. Da mesma forma, estará a conseguir poupar tempo, aumentando a sua produtividade e o seu grau de eficiência.  Com o crescimento contínuo do e-commerce e o aumento exponencial das encomendas a serem enviadas, por dia, é importantíssimo que haja uma gestão otimizada da cadeia de abastecimento e a escolha correta do equipamento para armazém.

Siga as nossas 10 dicas para melhorar a logística do seu armazém:

1. Escolha a estratégia de logística mais adequada às necessidades do seu armazém

Um pequeno armazém, que envia 50 encomendas por dia, não segue a mesma estratégia de um armazém que tem mais de 1 000 envios diários.

Portanto, identifique as suas necessidades. Avalie o seu armazém e o número de encomendas que realiza antes de estabelecer a sua estratégia logística:

  • Pequena logística: para cerca de 50 encomendas por dia. Com uma equipa de 5 pessoas e 500 m² de armazém, a gestão não exige uma estratégia particular. A separação ocorre à medida que o pedido é feito e os elementos da equipa podem desempenhar diferentes funções dependendo da necessidade.
  • Estruturada logística: Mais de 50 encomendas por dia. O armazém deve ser o mais profissional possível e a distribuição dos produtos deve de ser muito rigorosa. O picking deve de ser feito por lote de encomendas e cada membro da equipa deve de ter uma tarefa específica.
  • Industrializada logística: Mais de 1 000 encomendas por dia. O armazém deve de ser automatizado para que se consiga aumentar o seu ritmo de trabalho. O gerente de logística deve instalar um WMS (Warehouse Management System), que é um software de gestão de armazém para otimizar o processamento das encomendas.
  • Terceirização Logística: Esta última opção é prática, mas mais cara. Consiste em subcontratar uma logística especializada de armazenamento, de terceiros, capaz de lidar com picos significativos de atividade.

 2. Melhorar o seu ambiente de trabalho

  • Limite viagens desnecessárias. Otimize a distribuição dos produtos nas prateleiras para facilitar o picking.
  • Limite o transporte de cargas pesadas. Equipe o seu armazém, por exemplo, com carros de transporte, carrinhos dobráveis ​​ou porta-paletes. Assim, evitará o risco de um acidente de trabalho e exigirá muito menos esforço dos seus funcionários.
  • Investir em equipamentos de qualidade também é um aspeto importante para melhorar o seu ambiente de trabalho. Pode fazer toda a diferença um WMS de alto desempenho, leitores de código de barras, displays, etc, de forma a facilitar o trabalho dos membros da sua equipa e reduzir os erros logísticos.
  • As máquinas também ajudam: máquinas de embalagem, máquinas de enchimento ou retractilizadora. Conforme as suas necessidades, este tipo de máquinas podem também acelerar muito o seu trabalho.

3. Estruturar e organizar o seu espaço no armazém

O bom uso do espaço é, acima de tudo, essencial para evitar a transformação do seu armazém num campo de batalha.

 Portanto, para estruturar o espaço do seu armazém deve de:

  • Estabelecer um sistema de numeração para todos os produtos. E para além disso criar também rotas logísticas, que o levem rapidamente ao produto desejado.
  • Definir zonas de armazenamento e de trabalho. Zonas de stock, armazenamento, picking, chegada e saída, carga e descarga, etc.

4. Especificar as tarefas de cada funcionário

Por exemplo, quanto mais adaptado for um armazém mais precisas serão as tarefas a serem realizadas, pelas equipas. E se os funcionários tiverem um bom conhecimento das suas tarefas, a sua atividade no armazém, será também muito mais eficiente.

Distribua as tarefas, de cada um, nas diferentes áreas do armazém. Picking, preparação de encomendas, receção, envios, embalagem, etc.

5. Estabeleça uma zona de stocks de alta rotatividade

Em cada armazém existem produtos com mais rotação do que outros. Como tal, estabeleça uma determinada zona para os produtos que são mais adquiridos pelos seus clientes. E, portanto, os mais manuseados pelos seus colaboradores também.

Recomenda-se ainda a criação de uma zona especial para o armazenamento desses mesmos produtos. Ou seja: uma zona próxima à zona de chegada e à zona de embalamento/envio.

6. Organize os seus produtos de acordo com a sua classe de logística

Em suma: para melhorar a gestão do seu armazém, deve de considerar classificar os seus produtos de acordo com as suas especificidades de cada um:

  • Pesados ​​ou volumosos. Por exemplo: que obrigam a um manuseio técnico e delicado;
  • Frescos;
  • Personalizáveis. Que vão desde a zona de armazenamento até à zona de fabrico e acabam na zona de embalamento.

Assim, esta organização vai poupar-lhe muito tempo durante o seu fluxo logístico (receção de encomendas, picking e envios dos produtos).

7. Use a técnica de cross-docking

Portanto, o objetivo do cross-docking é que o produto esteja o menor tempo possível nas suas instalações. Cross-docking é uma técnica de logística onde os produtos são descarregados, à chegada do seu armazém, e são também encaminhados diretamente para o transporte da carga sem passar pelo stock. Acima de tudo, garantem que os mesmos não sejam armazenados.

O cross-docking tem muitas vantagens. Em suma, quanto mais tempo um artigo ficar armazenado mais o seu valor diminui e a probabilidade de se estragar, perder ou ser roubado aumenta.

8. Concentre-se na preparação de produtos que sejam semelhantes

Poupar tempo no picking é bastante importante. Por exemplo, se observar que existem pedidos de entrega para o mesmo produto, terá a vantagem de prepará-los ao mesmo tempo. Portanto, evitará que ande para frente e para trás, mais do que uma vez.

9. Automatize a gestão de ruturas de stock

Acima de tudo, gerir ruturas de stock é um grande quebra-cabeça logístico. Para além de causar interrupções, no trabalho dos seus colaboradores, as ruturas de stock geram uma grande insatisfação nos clientes.

Por exemplo: quando isso acontecer pode ativar um procedimento automatizado com a sua equipa de vendas e de serviços. O método mais comum é o envio automático de um e-mail, de forma a avisar sobre a próxima devolução de stock, do produto em questão.

10. Realize um controlo de qualidade para evitar os erros

Os clientes não gostam de erros nas encomendas. O desafio de uma boa gestão logística é, portanto, tentar evitá-los ao máximo.

Em suma, com o controlo de qualidade as encomendas são revistas ​​em cada etapa. Esta fase é muito importante no processo logístico e vai desde a chegada do produto, picking, embalamento e, por fim, até ao envio.

Todo este controlo pode ser feito de forma mais rápida com um formato digital, pois permite verificar a quantidade e a precisão dos produtos no seu momento de embalamento.

Ao seguir estas dicas, pode melhorar rapidamente a logística do seu armazém e melhorar, consequentemente, todo o seu desempenho.

Para isso, é essencial escolher uma boa transportadora. Portanto, ela deverá de ser capaz de oferecer um bom acompanhamento das suas encomendas, até à entrega final do produto.

Os três pontos principais a serem lembrados:

  • Organização é a palavra-chave na gestão logística. Ter um armazém que esteja organizado de acordo com as necessidades reais da sua empresa é fundamental. O mesmo acontece com uma especialização de tarefas e uma organização dos produtos, de qualidade, que permitam poupar tempo e eficiência.
  • O ambiente de trabalho deve ser o mais agradável e seguro possível. Acima de tudo, deve de proteger a saúde dos seus funcionários.
  • Dicas simples, como zonas de alta rotatividade, cross-docking e gestão automatizada de falta de stock, permitem uma melhor gestão da logística do seu armazém a longo prazo.

    Os melhores temas